Na 80ª edição da premiação Globo de Ouro, Evan, que foi indicado na categoria de “Melhor Performance por um Ator em uma Série Limitada, Série Antológica, ou Filme Feito para Televisão“, venceu!

É a primeira vez que o ator é indicado na premiação. Concorrendo com os atores renomados: Taron Egerton, Colin Firth, Andrew Garfield e Sebastian Stan, Evan venceu por sua performance em Dahmer – Monster: Um Canibal Americano.

Confira em nossa galeria todas as fotos do evento, e fique por dentro das novidades do ator seguindo nossas redes sociais!

Confira abaixo o link do vídeo legendado pela nossa equipe de Evan aceitando o prêmio:

A revista norte-americana The Hollywood Reporter, publicou uma edição com críticas às melhores séries de drama do ano de 2022, às quais também estão sendo cogitadas para participar da temporada de premiação. A série Dahmer: Um Canibal Americano aparece na sessão das Minisséries, o crítico Daniel Fienberg fez um comentário sobre a série da Netflix. Confira o trecho traduzido a seguir, e a página completa da revista em nossa galeria.

Dahmer – Monstro: A História de Jeffrey Dahmer (NETFLIX)
Originalmente escondido dos críticos, presumivelmente para que o co-criador Ryan Murphy pudesse proteger a experiência de visualização do público que não têm acesso à Wikipedia, ou produções de televisão recentes ou histórias semi-recentes, a série da Netflix Dahmer — Monstro A história de Jeffrey Dahmer, é uma mistura irritante. Pode-se apreciar os artistas em Dahmer – Richard Jenkins e Niecy Nash em particular; Evan Peters, apesar de um excesso de familiaridade por sua vez — e respeito que Murphy e o co-criador Ian Brennan tem coisas tangíveis e significativas a dizer aqui, ao mesmo tempo em que sinto que a série de 10 episódios é estruturada ao acaso e nunca encontra um meio termo entre a exploração e a expectativa. Dahmer começa pelo final, em 1991, como um prolífico assassino em série, necrófilo e canibal. Dahmer (Peters) pega Tracy Edwards (Shaun J. Brown) em um bar gay na área de Milwaukee e o traz de volta para seu apartamento sujo, onde absolutamente tudo é sinal de alerta: Há uma broca encharcada de sangue, um tanque cheio com peixes mortos, um fedor infeccioso, um misterioso tambor de plástico azul e um videocassete mostrando O Exorcista III. Tracy – alerta de spoiler histórico — foge e chama a polícia, que logo descobre que Dahmer tinha, ao longo do curso de três décadas, assassinado e feito coisas horríveis com os corpos de 17 jovens, principalmente homens jovens de cor.

 

Os 10 episódios da minissérie estão disponíveis na plataforma Netflix, confira nossas redes sociais para ficar por dentro das notícias sobre o Evan!

Em matéria criada por Kirsten Chuba do site Hollywood Reporter, mais informações das filmagens da série Dahmer: Um Canibal Americano são reveladas, graças aos eventos de Q&A feitos com o elenco da série e críticos de TV na última semana de outubro de 2022.

A Netflix organizou duas conversas em seu estúdio no sábado para Dahmer – Monster: The Jeffrey Dahmer Story e The Watcher – suas séries mais recentes e maiores, ambas cortesia de Ryan Murphy.

Murphy atuou como moderador de ambas as discussões, marcando um dos primeiros eventos de imprensa em torno de Dahmer desde que se tornou um dos programas mais vistos da Netflix – e como Murphy mencionou durante o evento, o maior sucesso da carreira do superprodutor.

À medida que o programa se aproxima de um bilhão de horas transmitidas, Murphy admitiu que era “algo que nenhum de nós entendia ou esperava”, mas ele tem duas teorias sobre por que decolou. “Sinto que o mundo é um lugar tão sombrio, e as pessoas estão procurando um lugar para colocar sua ansiedade, e isso é uma coisa”, disse ele. “A outra coisa é que, desde o COVID, as pessoas estão realmente interessadas na ideia de saúde mental e, na série, todo personagem tem um momento falando sobre isso.”

Um dos destaques de seu sucesso, disse Murphy, veio em uma discussão emocional com a estrela Niecy Nash, que participou da conversa ao lado de Evan Peters e Richard Jenkins. Nash interpreta Glenda Cleveland, vizinha de Dahmer que em muitas ocasiões tentou alertar a polícia sobre seus assassinatos, mas sempre foi ignorada.

“Chorei como um bebê porque disse a Ryan, é minha oração que, onde quer que a alma de Glenda Cleveland esteja descansando, ela finalmente se sinta ouvida”, disse ela. “Ela finalmente sabe que sua história se espalhou pelo mundo. Aquilo era importante para mim.”

Durante a conversa, Peters admitiu que estava apavorado em assumir o papel do serial killer – que assassinou de forma horrível 17 homens entre 1978 e 1991 – e voltou atrás se deveria fazê-lo.

Ele era tão profundo no personagem, “As pessoas me pedem: ‘Como é o Evan?’ e eu ficava tipo ‘Eu não sei, eu não conheço esse homem.'” Brincou Niecy Nash.

“Fazendo o papel, eu queria dar 120 por cento durante todo o processo, então trouxe muita escuridão e negatividade”, explicou Peters sobre seu processo. “Era apenas ter esse objetivo final em vista, saber quando iríamos encerrar e finalmente poder respirar e deixar ir e dizer: ‘OK, agora é hora de trazer a alegria e a leveza e assistir comédias e romances e voltar para St. Louis e ver minha família e amigos e sim, assistir Step Brothers.’”

“Evan Peters, você e eu em uma comédia romântica logo depois disso”, brincou Nash, enquanto Peters respondia: “Ah, estou triste”.

A série completa está disponível na plataforma de streaming Netflix.

Matéria originalmente criada por Emily Longeretta do site Variety, traduzida pela nossa equipe.

Embora Evan Peters e Ryan Murphy tenham trabalhado juntos por anos, Peters estava “aterrorizado” em assumir “Dahmer – Monster: The Jeffrey Dahmer Story” da Netflix.

“Eu realmente fiquei pensando se deveria ou não fazer isso. Eu sabia que seria incrivelmente sombrio e um desafio incrível”, disse Peters durante um painel no sábado com Murphy e os colegas de elenco Niecy Nash e Richard Jenkins.  Quando recebeu os roteiros, ele assistiu à entrevista de Dahmer em 1994 no “Dateline” para “mergulhar na psicologia desse lado extremo do comportamento humano”.

Durante os quatro meses de preparação e seis meses de filmagem, Murphy observou que Peters usava pesos de chumbo em torno de seus braços e elevadores em seus sapatos para diminuir a fisicalidade de Dahmer e “basicamente permaneceu nesse personagem, por mais difícil que fosse, por meses”.

“Ele tem as costas muito retas. Ele não mexe os braços quando anda, então coloco pesos nos braços para ver como é.  Eu usava os sapatos do personagem com saltos, jeans, óculos, eu tinha um cigarro na mão o tempo todo”, explicou Evan. “Eu queria que todas essas coisas, essas coisas externas, fossem uma segunda natureza quando estávamos filmando, então assisti muitas filmagens e também trabalhei com um treinador de dialetos para baixar a voz. A maneira como ele falava era muito distinta e ele tinha um dialeto. Então eu também fiz isso e criei essa composição de áudio de 45 minutos, que foi muito útil. Eu ouvia isso todos os dias, na esperança de aprender seus padrões de fala, mas na verdade, na tentativa de tentar entrar em sua mentalidade e entender isso a cada dia que estávamos filmando. Foi uma busca exaustiva, tentando encontrar momentos privados, momentos em que ele não parecia autoconsciente, para que você pudesse ter um vislumbre de como ele se comportava antes dessas entrevistas e de estar na prisão.”

Nash acrescentou que ela se aproximou alegremente de Peters no início das filmagens para dizer olá e percebeu que ele estava “em seu processo”.

“Eu queria respeitar isso e queria mantê-lo lá”, disse ela, virando-se para Peters. “Eu rezei muito por você, de verdade, porque isso é pesado. E quando você fica nele e está preso ao material, como osso à medula, sua alma fica perturbada em algum momento. E eu podia vê-lo ficando cansado. Eu apenas disse: ‘Bem, vou me certificar de mantê-lo em minhas orações, porque isso é muito e ele quer fazer justiça.’”

Houveram reações em torno da série, com alegações de que Murphy não entrou em contato com os familiares e amigos das vítimas de Jeffrey Dahmer – algo que ele desmentiu na quinta-feira durante um evento da DGA.

“É algo que pesquisamos há muito tempo”, disse o escritor. “Nós, ao longo dos três anos e meio em que estávamos realmente escrevendo, trabalhando nisso, alcançamos cerca de 20 das famílias e amigos das vítimas tentando obter informações, tentando conversar com as pessoas. E nem uma única pessoa nos respondeu nesse processo. Então, confiamos muito, muito fortemente em nosso incrível grupo de pesquisadores que… nem sei como eles encontraram muitas dessas coisas. Mas foi como um esforço de noite e dia para tentar descobrir a verdade dessas pessoas.”

A série completa está disponível na plataforma de streaming Netflix.

Matéria originalmente criada por Harper Lambert do site The Wrap, traduzida pela nossa equipe.

A estrela de Dahmer – Monster: The Jeffrey Dahmer Story” Niecy Nash não conheceu o verdadeiro Evan Peters até as filmagens terminarem porque seu colega de elenco estava profundamente enraizado em seu personagem serial killer.

Em uma coletiva de imprensa no sábado para a série de sucesso, Nash lembrou-se de se reapresentar a Peters após o período de ensaio e as filmagens de 10 meses, durante as quais ele permaneceu no personagem.

“Eu respeitei sua necessidade de manter a distância e a tensão para que isso acontecesse na tela”, disse ela.

Embora ela não tenha passado o tempo de inatividade com Peters no set, Nash, que interpreta a vizinha de Dahmer, Glenda Cleveland, o manteve em seus pensamentos.

“Eu rezei muito por você, de verdade, porque isso é pesado”, disse Nash a Peters durante a conversa com o showrunner Ryan Murphy e o colega de elenco Richard Jenkins.

Peters agradeceu a ela, lembrando-se de um ditado útil que Nash havia passado para ele de sua avó: “Aguente firme até ter o suficiente, e quando tiver o suficiente, aguente firme”.

Esse mantra ficou com Peters enquanto ele se preparava para o papel consumindo todos os livros, entrevistas, filmagens e relatórios de psicologia sobre Dahmer que pudesse encontrar. Para recriar o andar rígido de seu personagem, ele usava pesos no braço; para acertar a voz, ele trabalhou com um treinador de dialetos e montou um composto de áudio de 45 minutos que ouvia todos os dias para imitar seus padrões de fala e “entrar em sua mentalidade” (de Dahmer).

“Eu queria que todas essas coisas externas fossem uma segunda natureza enquanto estávamos filmando”, explicou Peters.

Para descomprimir de seu processo extenuante, o ator assistiu a muitas comédias românticas e comédias como “Step Brothers” (Quase Irmãos), e passou um tempo com amigos e familiares em sua cidade natal de St. Louis, Missouri.

“Evan Peters, você e eu em uma comédia romântica logo depois disso!”, brincou Nash.

Após sua estreia na Netflix em 21 de setembro, “Dahmer” se tornou o segundo programa em inglês mais popular de todos os tempos, depois da quarta temporada de “Stranger Things”. Na semana passada, acumulou 856,2 milhões de horas totais de visualização.

A jornalista Rachel Lang do site de notícias e entretenimento Lad Bible publicou uma matéria sobre o sucesso que Evan está fazendo na sua nova minissérie, Dahmer: Um Canibal Americano, confira:

As pessoas estão chamando Evan Peters de um dos melhores atores da nossa geração depois de assistir seu último projeto.

Ame ou odeie, não há como negar: Monster: The Jeffrey Dahmer Story é o programa de TV mais quente do momento.

É sangrento, é confrontador, é alarmante.  E é praticamente tudo verdade.

A fatia muito gráfica da televisão narra a perturbadora história verdadeira de Jeffrey Dahmer, interpretado por Evan Peters, e sua matança depravada no meio-oeste dos Estados Unidos nos anos de 1987 a 1991.

Seu incrível retrato do serial killer só acrescenta ao seu já impressionante currículo em Hollywood, e isso levou os fãs a fazerem algumas grandes ligações sobre seu ofício de ator.

Um usuário de uma rede social disse: “Eu não sei o que pensar de Dahmer. Evan Peters é um dos atores mais talentosos da nossa geração. Eu continuo tendo que parar a cada meia hora porque é demais”.

Outro acrescentou sua própria crítica brilhante, dizendo: “Evan Peters, este ator é muito bom. Retratar um dos serial killers da América deve ter sido realmente assustador/difícil para ele, mas ele acertou em cheio. Ele é realmente um dos atores mais talentosos desta geração.”

Uma terceira pessoa teve um ponto de vista semelhante: “Evan Peters é um dos atores mais talentosos de nossa geração. Mas mesmo assim eu precisarei fazer uma pausa entre os episódios. A multiplicidade de camadas de homofobia e racismo significava que o Jeffrey Dahmer da vida real se safou disso por anos. É devastador de assistir.”

Embora Peters tenha tido vários papéis desde que iniciou sua carreira de ator, ele se tornou a principal escolha de Ryan Murphy para sua franquia American Horror Story.

O ator já apareceu em Murder House, Asylum, Coven, Freak Show, Hotel, Roanoke, Cult, Apocalypse e Double Feature.

Em cada projeto, ele interpretou um personagem peculiar ou depravado que sem dúvida exigiu muito trabalho para se aprofundar.

Mas Evan disse que interpretar Jeffrey Dahmer foi um dos papéis mais difíceis que ele teve que assumir.

“Eu estava muito assustado com todas as coisas que Dahmer fez, e mergulhar nisso e tentar me comprometer [interpretar esse personagem] seria absolutamente uma das coisas mais difíceis que eu já tive que fazer na minha vida porque eu queria que fosse muito autêntico.” Evan contou à Netflix.

“Mas, para fazer isso, eu teria que ir a lugares realmente escuros e ficar lá por um longo período de tempo”.

Ele continuou: “Devo dizer que a equipe foi fundamental para me manter nos trilhos, não posso agradecê-los o suficiente e não poderia ter feito nada desse papel sem eles … Foi um desafio interpretar essa pessoa que era aparentemente tão normal, mas por baixo de tudo isso, tinha todo esse mundo que ele estava mantendo em segredo de todos.”

Ele acrescentou: “Foi tão impressionante que tudo realmente aconteceu.

“Foi importante respeitar as vítimas e as famílias das vítimas para tentar contar a história da forma mais autêntica possível.”

Preparamos uma compilação de alguns dos vários comentários que estão no site Rotten Tomatoes, dos espectadores que assistiram a série Monster: The Jeffrey Dahmer Story, sobre a atuação de Evan Peters como o protagonista na minissérie.

 

Georgia D
Muito bem dirigido, Evan é brilhante. Esta não é uma tentativa de glorificar um “homem” malvado, mas sim uma forma de chamar a atenção para as vítimas e seus familiares, com foco na credulidade dos policiais que lidaram com ele.

 

Mateus J
Fantástico!! Evan Peters é brilhante.

 

Felipe R
Maravilhoso Evan Peters está dando um show de interpretação.

 

K K
Evan Peters é tão bom em ser um cara estranho! Ele é perfeito para esse papel e acho que provavelmente ganhará muitos prêmios por essa atuação.

 

Alan P
Evan Peters …  Arrasa no personagem! Eu realmente acho que é hora de Hollywood ver o ator talentoso que ele é e dar a ele algo que irá catapultar sua bunda para o estrelato! Ele definitivamente tem as raízes de atuação. E com um estudo de personagem que é super bem interpretado. Para mim, ser avaliado mais uma vez é dizer muito… Além disso, Murphy está nos dando uma escrita de ouro. Então sim, boa série!!

 

Sem nome
Achei que já tinha visto tudo sobre Dahmer. Isso foi incrivelmente informativo. Muitos fatos que nunca soubemos. Evan Peters foi espetacular!!  Sra. Nash, excelente!!  Richard Jenkins, estelar!! Eu só queria que ele fosse pego mais cedo. Sinto muito por todas as vítimas e suas famílias. Que esse diabo continue queimando no inferno! 🤟Tony 💕💕

 

Nicole Y
Evan Peters é um talento incrível!

 

Marcos
Ainda bem que Ryan sempre traz Evan Peters, um ator brilhante. Ele fez um trabalho maravilhoso nesta série limitada.  Ele incorporou Dahmer como nenhum outro ator antes. Eu tenho calafrios em muitas cenas. O final da série me deixou sem palavras.

E você, o que está achando da atuação de Evan na trama?

O colunista e crítico Marcus James Dixon do site Gold Derby, apostou alto em Evan Peters para vencer nas próximas premiações por sua atuação na nova série da Netflix, Monster: The Jeffrey Dahmer Story. Confira:

Evan Peters volta para o tópico de conversa sobre prêmios pela sua ‘transformação aterrorizante’ em ‘Monster: The Jeffrey Dahmer Story’ da Netflix.

Evan Peters ganhou os prêmios Emmy e Gold Derby por sua atuação como o cativante detetive Colin Zabel em “Mare of Easttown” da HBO (2021).  Um ano depois, o veterano de “American Horror Story” está retornando ao gênero assustador que o tornou um nome familiar ao estrelar como o serial killer principal em “Monster: The Jeffrey Dahmer Story” da Netflix. Afinal, Peters está prestes a ter outra temporada de premiações?

A série limitada de 10 partes começou a ser transmitida quarta-feira, 21 de setembro na Netflix, dos co-criadores Ryan Murphy e Ian Brennan. Os cinco diretores do projeto são Carl Franklin, Clement Virgo, Jennifer Lynch, Paris Barclay e Gregg Araki. Juntando-se a Murphy e Brennan nas tarefas de roteiro estão David McMillan, Janet Mock, Reilly Smith e Todd Kubrak.

“Monster: The Jeffrey Dahmer Story” conta a história do infame serial killer e desviante sexual, do ponto de vista de suas vítimas. Além de Peters, a série também conta com Richard Jenkins como Lionel Dahmer, Molly Ringwald como Shari Dahmer, Michael Learned como Catherine Dahmer e Niecy Nash como Glenda Cleveland.

No momento da redação deste artigo, “Monster” tem uma forte pontuação de audiência de 89% no Rotten Tomatoes, com Ed Power (Daily Telegraph) chamando-o de “um estudo de personagem competente e sério que se esforça para fazer as entranhas do espectador balançarem, sua pele arrepiar”  Avery Thompson (HollywoodLife) destaca a “transformação aterrorizante” de Peters, enquanto Alberto Carlos (Espinof) elogia que o ator oferece uma “interpretação magistral”.

O retrato de Peters do vilão da vida real pode ser muito assustador para os eleitores de prêmios? Não necessariamente. Nos últimos anos, os Emmys abraçaram muitas performances que se voltaram para o assustador ou perturbador. John Lithgow (“Dexter”) e Michael Emerson (“The Practice”) prevaleceram por interpretar serial killers, enquanto Jessica Lange, Kathy Bates e James Cromwell ganharam Emmys por seus papéis assustadores em várias temporadas de “American Horror Story”.

Peters atualmente está no Top 8 das previsões do SAG Awards do Gold Derby para Melhor Ator de Série Limitada. O que você acha de sua atuação protagonista em “Monster: The Jeffrey Dahmer Story”?

Fonte: Deadline

EXCLUSIVO: Evan Peters, um dos atores de confiança de Ryan Murphy, é definido como o personagem do título em Monster: The Jeffrey Dahmer Story, uma mini-série da Netflix co-criada pelos colaboradores de longa data Murphy e Ian Brennan, o Deadline ficou sabendo. Outro ator do universo de Ryan Murphy na TV, Niecy Nash, está escalada para estrelar a série, que também escalou Penelope Ann Miller, Shaun J. Brown e Colin Ford, disseram as fontes. Eles se juntam a Richard Jenkins, previamente anunciado . A Netflix se recusou a comentar.

Monster narra a história de um dos mais notórios serial killers da América (Peters), amplamente contada do ponto de vista das vítimas de Dahmer, e mergulha profundamente na incompetência e apatia da polícia que permitiu ao nativo de Wisconsin entrar em uma matança de vários anos. A série dramatiza pelo menos 10 casos em que Dahmer quase foi apreendido, mas acabou abandonado. A série também deve tocar no privilégio dos brancos, já que Dahmer, um cara branco bem-apessoado e de boa aparência, recebeu repetidamente passe livre por policiais e também por juízes que foram tolerantes quando ele foi acusado de crimes menores.

Miller e Jenkins interpretam a mãe de Dahmer, Joyce e o pai Lionel, respectivamente. Nash interpreta o que é considerada a protagonista feminina da série, Glenda Cleveland, uma vizinha de Dahmer que ligou para a polícia várias vezes e até tentou ligar para o FBI para alertá-los sobre o comportamento errático de Dahmer, sem sucesso.

Brown retrata Tracy, a última vítima pretendida de Dahmer que lutou e conseguiu escapar, levando os policiais ao apartamento de Dahmer, resultando na prisão do assassino. Ford interpreta Chazz.

Carl Franklin está dirigindo o episódio piloto. Mock dirigirá e escreverá vários episódios. Os dois são produtores executivos com Murphy e Brennan. Completando a sala dos escritores com Brennan e Mock está David McMillan, que atua como produtor supervisor da mini-série de 10 episódios que abrange as décadas de 1960, 1970 e 1980 e termina com a prisão de Dahmer no início dos anos 1990. Rashad Robinson, do Color of Change (Cor da Mudança, em tradução livre), um projeto de justiça racial, também atua como produtor supervisor. Também são produtores executivos Ryan Murphy Prods. ‘ Alexis Martin Woodall e Eric Kovtun; Scott Robertson é um co-produtor.

Conhecido como Milwaukee Cannibal (Canibal de Milwaukee) ou Milwaukee Monster (Monstro de Milwaukee), Dahmer assassinou e esquartejou 17 homens e meninos de 1978-1991, muitos deles pessoas de cor e alguns menores de idade. A maioria dos assassinatos também envolveu necrofilia, canibalismo e preservação de partes do corpo. Condenado por 16 assassinatos, ele foi espancado até a morte por outro presidiário em 1994, dois anos depois de sua sentença. Ele tinha 34 anos.

Houve vários filmes sobre Dahmer, nos quais ele foi interpretado por Jeremy Renner, Carl Crew, Rusty Sneary e Ross Lynch. Ao contrário da maioria das abordagens anteriores da história, que enfatizaram sua natureza sensacional e detalhes sangrentos, a abordagem de Monster é psicológica e se concentra em como os assassinatos foram permitidos ao longo de mais de uma década.

Peters tem sido uma presença regular em American Horror Story de Murphy desde o início, com 1984 sendo a única temporada em que ele não apareceu. Ele está programado para voltar para a próxima temporada, Double Feature na FX. Peters também apareceu no drama FX produzido por Murphy, Pose. Recentemente, ele também apareceu em WandaVision da Disney + e será visto em breve ao lado de Kate WInslet em Mare of Easttown, da HBO.

A mini-série de crimes verdadeiros mais recente de Murphy foi a vencedora do Emmy O Assassinato de Gianni Versace, também estrelou um colaborador frequente dele, Darren Criss, que ganhou um Emmy, um Globo de Ouro e um SAG Award por sua interpretação de Andrew Cunanan.

Nash estrelou em Scream Queens, da Fox, co-criado por Murphy e Brennan. Ela foi a apresentadora de The Masked Singer e estrela dois filmes da Netflix: Beauty , com Sharon Stone e Giancarlo Esposito, e The Perfect Find , com Gabrielle Union. Nash, estrela da comédia dramática da TNT, Claws, foi recentemente vista na FX em Mrs. America , do Hulu e Eu nunca…, da Netflix.

Os créditos recentes de Miller na TV incluem Gaslight e Dirty Diana. Brown foi visto recentemente em Future Man: O Viajante do Tempo e Run. Ford foi o protagonista da série Daybreak da Netflix.