Fonte: GQ Magazine
Com papéis esquisitos em American Horror Story and Pose de Ryan Murphy, Evan Peters jura que é totalmente normal pessoalmente.

Evan Peters está determinado a provar que não é uma aberração. Com papeis regulares na série de antologia de Ryan Murphy na FX, American Horror Story, ele interpretou, entre outros personagens no série, um fantasma mentalmente perturbado, um hoteleiro assassino em série, um líder de culto manipulador e Рoh, sim РCharles Manson.

Infelizmente, ele √© muito bom em ser aberra√ß√£o. Seu √ļltimo papel – em Pose de Murphy, um projeto de paix√£o para o produtor e o √ļltimo para FX, que explora a cena de sal√£o do baile de Nova York dos anos 80 que ficou famoso por “Vogue” da Madonna e Paris Is Burning (Paris est√° pegando fogo, em tradu√ß√£o livre) ‚Äď √© minimamente mais leve. Peters interpreta Stan, um subordinado de Donald Trump do ramo imobili√°rio que est√° traindo sua esposa com Angel, uma prostituta transg√™nero que ele conhece no cais de Christopher Street. Branco e heterossexual, Peters ainda √© de alguma forma o exclu√≠do residente na desafiadoramente inspiradora Pose, que tem um elenco que √© amplamente queer e trans, muitos deles pessoas de cor.

Embora seja gratificante, ele gostaria de voltar a ser Evan novamente. Fora do papel, o ator de 31 anos (parece muito mais jovem) usa o uniforme do cara comum: uma camisa preta e jeans largos, junto com t√™nis Golden Goose com estampa de leopardo que exalam um ar de ‚Äúeu sei como me divertir‚ÄĚ.

GQ conversou com ele sobre as partes mais cansativas de seu trabalho, cock socks, aspira√ß√£o a com√©dias rom√Ęnticas e por que seus √≠dolos de atua√ß√£o s√£o Tom Hanks e Robin Williams.

GQ: Você acaba nesses papéis incrivelmente intensos nas séries de Ryan Murphy e no novo filme American Animals.

Sim, n√£o vou mais fazer isso. Acabei de tomar uma decis√£o. Eu disse a mim mesmo: “N√£o posso mais fazer isso.” N√£o sou eu. N√£o √© quem eu sou!

Você parece um cara descontraído.
Eu sou muito bobo, gosto de me divertir. Eu não gosto de gritar e berrar. Eu realmente odeio isso. Eu acho nojento e realmente horrível, e tem sido um desafio para mim. Horror Story meio que exigia isso de mim.

Você interpretou algumas pessoas muito esquisitas.
Eu sei, e tem sido um grande esforço para mim e muito difícil de fazer. Está machucando minha alma e Evan como pessoa. Há essa quantidade enorme de raiva que foi invocada de mim, e a carga emocional que foi exigida de mim para Pose foi de partir o coração, e estou cansado. Eu não me sinto bem.

American Horror Story deu muitas voltas ao longo dos anos. Voc√™ se tornou parte de seu n√ļcleo.
Olha, eu sempre tentei ser capaz de fazer o meu trabalho. [risos] Muitas voltas que eu não sabia que ia dar. Você está à altura do trabalho, mas nunca quis seguir esse caminho. Meus atores favoritos são Jim Carrey e Chris Farley, Tom Hanks, Robin Williams. Robin Williams é o melhor Рser capaz de fazer toda aquela comédia, mas também de partir o coração.

Que tipo de cobrança essa coisa sinistra exige de você?

√Č simplesmente exaustivo. √Č muito desgastante mentalmente, e voc√™ n√£o quer ir a esses lugares nunca em sua vida. E a√≠ voc√™ tem que ir l√° pelas cenas, e acaba integrando de alguma forma na sua vida. Voc√™ est√° no tr√Ęnsito e se pega gritando e pensa: Que diabos? Este n√£o √© quem eu sou. Eu luto muito para combater isso e ter certeza de que estou assistindo com√©dias e saindo com minha noiva [atriz Emma Roberts] e relaxando com amigos e assistindo filmes.

Qual foi a coisa mais difícil de fazer?
Em quase todos os papéis, houve algum tipo de cena de sexo estranha, e cenas de sexo não são fáceis de fazer. Elas são muito constrangedoras, especialmente quando você está na casa dos vinte anos e ainda é estranho.

Aconteceu com você um mal funcionamento da  cock sock (meia de p****).
Suas bolas estão penduradas na frente de Jessica Lange, e é tipo, isso não é normal. Esta é uma experiência muito vulnerável.

Alguma cena traumática que vem à mente?
Uma coisa estranha foi quando eu era o Sr. March [em American Horror Story: Hotel]. Eu estava cortando com a navalha essa pobre garota enquanto fazia sexo com ela. Era simplesmente horrível, estranho e triste. Naquele ponto, era a quinta temporada, e eu estava mais confortável com a equipe, então é tipo, ok, acho que minha bunda estará para fora. Alguns dos primeiros foram muito enervantes. Uma coisa com Kyle [Spencer em American Horror Story: Coven], eu tive que sair da banheira e bater em um monte de coisas e ficar chateado e estava completamente nu. Você está com a cock sock, mas ainda está nu.

Essas cock socks nunca caem?
Sim, claro que sim, o tempo todo. Portanto, h√° uma chance de 50/50 de seu p√™nis sair. √Č um pouco √°spero.

Voc√™ ainda mostrou uma versatilidade impressionante e pode tamb√©m ser vulner√°vel. Estou meio surpreso que voc√™ n√£o tenha sido escalado para uma com√©dia rom√Ęntica.
Estou desejando fazer um desses. Eu adoraria fazer uma com√©dia rom√Ęntica. Tenho assistido a muitas delas. Eu adoro.

Você já fez o teste para alguma?
N√£o √© que eu seja classificado como um s√≥ personagem, mas todas as coisas mais sombrias s√£o mais jogadas para voc√™. De certa forma, tenho que provar que n√£o sou esse cara maluco, e est√° tudo bem. Eu s√≥ consigo ser eu mesmo agora. Eu adoraria ir para uma com√©dia rom√Ęntica. √Č s√≥ uma quest√£o de abrir essa porta para e lutar por ela quando aparecer.

Você é o cara branco e hétero solitário que interpreta o personagem principal em Pose. Houve hesitação em fazer isso?

N√£o houve hesita√ß√£o. Havia apenas curiosidade. Eu nunca tinha visto Paris Is Burning, ent√£o eu assisti e me apaixonei. √Č todo um mundo e uma cultura sobre os quais eu nada sabia. Tem sido uma grande experi√™ncia de aprendizado e cresci muito. Aprendi muito com a comunidade trans. Eles s√£o uma comunidade incr√≠vel e forte, e eles tiveram que lidar com problemas muito maiores do que qualquer coisa que eu j√° tive. Isso me deixa envergonhado.

Não consigo imaginar que você tenha muito em comum com Stan.
Não, mas posso entender a pressão, a necessidade de atuar e ser perfeito e tentar fazer tudo certo, e isso quase faz você querer largar tudo. Você tem que amar seu personagem, mas é triste o que ele está fazendo com sua esposa e filhos. Eu odeio isso. Acho que ele também odeia. Ele não está sendo honesto com ele mesmo sobre quem ele é. Ele não se deixa libertar. Ele está despedaçado.

Você já disse não a qualquer coisa que Ryan Murphy pediu que você fizesse? Sarah Paulson disse que nunca ocorreu a ela.

N√£o, n√£o. Eu confio nele e em sua vis√£o e sua escrita e dire√ß√£o e ele meio que supervisionando tudo. Sei que existe um plano maior, ent√£o sempre chego nele e digo: “Estou em suas m√£os. Vamos fazer isso. Qualquer coisa que voc√™ precisar que eu fa√ßa”.

Como ele é no set? Parece que ele pode ser autoritário.
Ele pode ser quando as coisas estão ruins. Meio que tomando conta um pouco. Mas, na maior parte das vezes, ele é muito engraçado e hilário e amoroso, cuidando de todos e garantindo que todos fiquem confortáveis. Você confia nele.

 

Fonte: GQ Magazine

Evan Peters: ‚ÄúEu estou tentando descobrir o que √© vulnerabilidade‚ÄĚ

Evan Peters levou uma década na busca pela alma para alcançar o grande momento

Mesmo com seu estilo de Brat Pack (*apelido dado a um grupo de jovens atores e atrizes que frequentemente apareciam juntos em filmes para adolescentes nos anos 80.) e um dom para exprimir emo√ß√Ķes extremas, o ator do centro oeste americano levou uma d√©cada na busca pela alma at√© alcan√ßar o grande momento. Agora, ele fixamente integrado no grupo de atores da super estrela showrunner Ryan Murphy, juntamente com Jessica Lange e Sarah Paulson, aparecendo em American Horror Story como parte do elenco rotativo de personagens exc√™ntricos ‚Äď e at√© mesmo serrando membros com Lady Gaga. Ele encarnou a masculinidade conflituosa na fabulosa e sincera cena do baile no drama Pose e ano passado ele se firmou no seu maior longa metragem como o criminoso Warren Lipka no filme de assalto American Animals. Peters √© uma ator que pode fazer tanto algo Cult na TV quanto um genu√≠no blockbuster: este ver√£o ele estar√° vestido de azul como Merc√ļrio em X-Men: F√™nix Negra, reprisando um papel na franquia de a√ß√£o que mant√©m desde 2014 em X-Men: Dias de um futuro esquecido. Mais tarde, este ano ele vai estrelar a cinebiografia australiana I Am Woman (‚ÄúEu sou mulher‚ÄĚ em tradu√ß√£o livre) como Jeff Wald, marido e empres√°rio da √≠cone feminista Helen Reddy.

Para uma das duas capas do GQ Style SS19, Peters √© fotografado em LA (Los Angeles) por Jackie Nickerson e estilizado pelo editor de moda s√™nior Gary Armstrong na Dior SS19 – a primeira cole√ß√£o de Kim Jones como diretor art√≠stico de moda masculina. Em um almo√ßo discreto em LA, ele se abre para a escritora Eve Barlow sobre as press√Ķes e riscos de sua ascens√£o √† fama e detalha abertamente sua jornada de vida como um garoto do Meio-Oeste que adorava o Disney Channel a estar em cartaz ao lado de Jennifer Lawrence e Michael Fassbender. Continue lendo para uma pr√©via exclusiva de nosso artigo em profundidade com o novo sonhador aventureiro de Hollywood.

Sobre a press√£o de interpretar um protagonista

“Estou tentando descobrir o que √© vulnerabilidade. √Č uma sensa√ß√£o t√£o maluca que nem consigo descrever. Interpretar Stan [em Pose] foi dif√≠cil. Muito dif√≠cil. Mas foi uma experi√™ncia de aprendizado. Eu encaro todos esses pap√©is como experi√™ncias de aprendizagem. Espero que hoje em dia haja mais liberdade para explorar, contar √≥timas hist√≥rias e encenar o papel que voc√™ quiser. Agora, mais do que nunca, as pessoas n√£o deveriam ser rotuladas.”

Sobre tirar um tempo sab√°tico depois dos retornos negativos de 2018

“Acho que foi um esgotamento total. Vou fazer uma pausa, me recompor, me aliviar, voltar a ter contato com o que sinto que quero fazer. N√£o que eu n√£o quisesse fazer nenhum desses pap√©is – eles s√£o exatamente o que eu queria fazer. Foi apenas de zero a 100 instantaneamente. Eu quero tocar m√ļsica.‚ÄĚ