Ryan Murphy reúne o elenco de Dahmer – Monster: The Jeffrey Dahmer Story para discutir como eles contaram uma história tão trágica e preocupante.

Os crimes de Jeffrey Dahmer aterrorizaram e cativaram o mundo após sua prisão em 1991, e a história do vizinho serial killer canibal continua a ser um fascínio sombrio décadas depois. O que perdura na memória cultural são as manchetes sensacionalistas e os detalhes sangrentos, mas as histórias das vítimas de Dahmer e das pessoas que tentaram detê-lo não foram contadas. Dahmer – Monster: The Jeffrey Dahmer Story, criado por Ryan Murphy e Ian Brennan (as mentes vencedoras do Emmy por trás de American Crime Story e American Horror Story), dá um passo para trás e examina o caso Dahmer de ângulos inéditos.

Na minissérie de 10 episódios, Evan Peters (Mare of Easttown, American Horror Story) se transforma fisicamente em Jeffrey Dahmer, desde os anos de colégio do assassino até sua morte na prisão aos 34 anos. “Coisas que Dahmer fez, e tentar se comprometer a [interpretar esse personagem] seria uma das coisas mais difíceis que já tive que fazer na minha vida”, diz Peters. “Foi tão impressionante que tudo realmente aconteceu. Parecia importante ser respeitoso com as vítimas e com as famílias das vítimas para tentar contar a história da forma mais autêntica possível.”

Nos papéis coadjuvantes, Richard Jenkins e Molly Ringwald estrelam como o pai de Dahmer, Lionel, e sua madrasta, Shari, e Penelope Ann Miller interpreta sua mãe ausente, Joyce, enquanto a série segue sua luta para entender seu filho problemático e sua negligência em reconhecer seu perigo. “Chama-se The Jeffrey Dahmer Story, mas não é apenas ele e sua história de fundo. São as repercussões; é como a sociedade e nosso sistema falharam em detê-lo várias vezes por causa do racismo e da homofobia”, acrescenta Peters. “Todo mundo tem seu lado da história contado.”

A missão da série ficou clara desde o início. “Tínhamos uma regra de Ryan [Murphy] que nunca seria contada do ponto de vista de Dahmer”, continua Peters. Com episódios dirigidos por Gregg Araki, Paris Barclay, Carl Franklin, Jennifer Lynch e Clement Virgo, Dahmer examina os assassinatos do assassino em série de 17 homens e meninos, a maioria indivíduos de cor, em todo o meio-oeste ao longo de 13 anos. À medida que a série evolui, ela explora como o caso foi maltratado e como os crimes foram ignorados pela polícia por mais de uma década. Murphy consultou Rashad Robinson, presidente da Color of Change, uma organização sem fins lucrativos de defesa dos direitos civis, para garantir que as histórias da vítima fossem o centro das atenções na redação e produção do projeto.

“Minha primeira apresentação a Jeffrey Dahmer e sua história foi ouvir algo no noticiário e depois ouvir meus pais falarem”, diz Niecy Nash (When They See Us, Selma), que interpreta a vizinha de Dahmer, Glenda Cleveland, uma figura que muitas vezes falta nas recontagens dos assassinatos. “Glenda também foi uma de suas vítimas. E a história dela foi a menos contada.”

Cleveland, que morava no mesmo complexo de apartamentos em Milwaukee que Dahmer, suspeitava de seus crimes desde o início, e ela alertou diligentemente o proprietário várias vezes sobre o mau cheiro vindo de seu apartamento. Quando o proprietário não fez nada, já que Dahmer era “um bom inquilino”, ela começou a chamar a polícia, mas eles se recusaram a levar a sério uma mulher negra e sua família, morando em um bairro carente. Em um caso, ela chamou a polícia ao testemunhar Konerak Sinthasomphone, um menino ferido de 14 anos, tropeçar nu para fora do apartamento de Dahmer e cair na rua. Ao chegarem, Dahmer disse aos policiais que o menino era seu amante e que eles haviam acabado de discutir. A polícia aceitou sua palavra sobre a de Cleveland, que repetidamente implorou que eles reavaliassem antes de inevitavelmente ajudarem o menino a voltar aos braços de Dahmer e ele se tornar outra vítima.

As ações de Dahmer afetaram inúmeras vidas além de suas vítimas; a série passa um tempo com suas famílias enlutadas, enquanto lutam para processar os assassinatos traumáticos. “Pesada é a cabeça que usa a coroa para contar esta história como nunca havia sido feita antes”, diz Nash. “Isso vem com muita responsabilidade, porque você quer ter certeza de que está acertando.” Essas famílias e comunidades foram sempre assombradas pelos atos terríveis e sem sentido de Dahmer e merecem que suas histórias sejam finalmente introduzidas na narrativa.

“O tema de toda esta peça é atemporal”, acrescenta Nash. “Você ainda tem comunidades que estão sendo mal atendidas, sendo superpoliciadas da maneira errada. Temos pessoas clamando por mudanças e para serem ouvidas pelos poderes constituídos.” Mesmo após o julgamento de Dahmer, o heroísmo de Cleveland é ofuscado pela falta de ação das autoridades. “Ela merecia muito mais do que uma pequena placa cafona no fundo de um salão social em algum lugar. Ela merecia muito mais do que a polícia passar na frente dela e dizer: ‘Olha o que fizemos. Veja o que tentamos fazer’”, diz Nash.

Juntamente com a história de Clevevand, que historicamente foi negligenciada em favor dos aspectos chocantes do caso, Dahmer se concentra nas vítimas e suas famílias trabalhando em meio ao luto enquanto o julgamento se desenrola. “A história de Jeffrey Dahmer é muito maior do que apenas ele”, reflete Peters. Ao focar nas falhas institucionais e na incompetência que permitiram que Dahmer continuasse matando à vista de todos, Dahmer – Monster: The Jeffrey Dahmer Story conta uma história tragicamente presciente de indivíduos e comunidades lutando para serem ouvidos e as consequências mortais quando são ignorados por aqueles no poder.

A matéria original em inglês está disponível neste link.

Na 80ª edição da premiação Globo de Ouro, Evan, que foi indicado na categoria de “Melhor Performance por um Ator em uma Série Limitada, Série Antológica, ou Filme Feito para Televisão“, venceu!

É a primeira vez que o ator é indicado na premiação. Concorrendo com os atores renomados: Taron Egerton, Colin Firth, Andrew Garfield e Sebastian Stan, Evan venceu por sua performance em Dahmer – Monster: Um Canibal Americano.

Confira em nossa galeria todas as fotos do evento, e fique por dentro das novidades do ator seguindo nossas redes sociais!

Confira abaixo o link do vídeo legendado pela nossa equipe de Evan aceitando o prêmio:

Nesta quinta-feira (27) aconteceu o evento Q&A (questions and answers, perguntas e respostas na tradução) da série Dahmer: Um Canibal Americano. O evento contou com a presença dos criadores da minissérie, Paris Barclay e Ryan Murphy, além dos atores Evan Peters, Niecy Nash e Rodney Burford.

Foi exibido para uma audiência de críticos de cinema e audiovisual, o sexto episódio da série intitulado “Silenced“, no qual conhecemos intimidades da vida de uma das vítimas de Dahmer, Tony Hughes. O episódio em questão foi muito bem recebido pelo público por tratar a história de Hughes não apenas como mais um número nas vítimas do assassino, mas sim humanizando as vítimas que muitas vezes são esquecidas nos documentários e séries sobre os crimes.

Durante o Q&A foram feitas diversas perguntas para os atores e criadores. Nelas, Evan responde como foi o processo de se preparar para interpretar Jeffrey Dahmer, além de detalhes da criação da série por Ryan Murphy, e como Evan e Niecy Nash se relacionaram durante as filmagens.

Confira uma compilação de vídeos das respostas, legendadas pela nossa equipe:

Para conferir as fotos do evento em alta qualidade, acesse nossa galeria.

E para continuar em dia com as novidades sobre o Evan, acompanhe nossas redes sociais!

O colunista e crítico Marcus James Dixon do site Gold Derby, apostou alto em Evan Peters para vencer nas próximas premiações por sua atuação na nova série da Netflix, Monster: The Jeffrey Dahmer Story. Confira:

Evan Peters volta para o tópico de conversa sobre prêmios pela sua ‘transformação aterrorizante’ em ‘Monster: The Jeffrey Dahmer Story’ da Netflix.

Evan Peters ganhou os prêmios Emmy e Gold Derby por sua atuação como o cativante detetive Colin Zabel em “Mare of Easttown” da HBO (2021).  Um ano depois, o veterano de “American Horror Story” está retornando ao gênero assustador que o tornou um nome familiar ao estrelar como o serial killer principal em “Monster: The Jeffrey Dahmer Story” da Netflix. Afinal, Peters está prestes a ter outra temporada de premiações?

A série limitada de 10 partes começou a ser transmitida quarta-feira, 21 de setembro na Netflix, dos co-criadores Ryan Murphy e Ian Brennan. Os cinco diretores do projeto são Carl Franklin, Clement Virgo, Jennifer Lynch, Paris Barclay e Gregg Araki. Juntando-se a Murphy e Brennan nas tarefas de roteiro estão David McMillan, Janet Mock, Reilly Smith e Todd Kubrak.

“Monster: The Jeffrey Dahmer Story” conta a história do infame serial killer e desviante sexual, do ponto de vista de suas vítimas. Além de Peters, a série também conta com Richard Jenkins como Lionel Dahmer, Molly Ringwald como Shari Dahmer, Michael Learned como Catherine Dahmer e Niecy Nash como Glenda Cleveland.

No momento da redação deste artigo, “Monster” tem uma forte pontuação de audiência de 89% no Rotten Tomatoes, com Ed Power (Daily Telegraph) chamando-o de “um estudo de personagem competente e sério que se esforça para fazer as entranhas do espectador balançarem, sua pele arrepiar”  Avery Thompson (HollywoodLife) destaca a “transformação aterrorizante” de Peters, enquanto Alberto Carlos (Espinof) elogia que o ator oferece uma “interpretação magistral”.

O retrato de Peters do vilão da vida real pode ser muito assustador para os eleitores de prêmios? Não necessariamente. Nos últimos anos, os Emmys abraçaram muitas performances que se voltaram para o assustador ou perturbador. John Lithgow (“Dexter”) e Michael Emerson (“The Practice”) prevaleceram por interpretar serial killers, enquanto Jessica Lange, Kathy Bates e James Cromwell ganharam Emmys por seus papéis assustadores em várias temporadas de “American Horror Story”.

Peters atualmente está no Top 8 das previsões do SAG Awards do Gold Derby para Melhor Ator de Série Limitada. O que você acha de sua atuação protagonista em “Monster: The Jeffrey Dahmer Story”?

Após muito tempo esperando, os fãs finalmente receberam uma prévia da minissérie agora intitulada “Dahmer: Um Canibal Americano“.


A história terá como foco os olhares em volta dos crimes cometidos pelo assassino em série Jeffrey Dahmer, entre os anos de 1978 e 1991. Dahmer fez sua primeira vítima com apenas 15 anos de idade, e a partir de então, praticou as mais diversas maldades com meninos e homens nos Estados Unidos, assassinando 17.

Em entrevista recente, Evan, que interpretará o assassino em série, comentou que a minissérie não irá exibir novamente tudo o que foi cometido pelo criminoso, afinal de contas esse não será o foco do show, e sim, como os vizinhos, família e diversos entes próximos do homem lidavam com o dia a dia de Dahmer, e como todos os crimes vieram à tona.

Assista o vídeo da entrevista, legendado pela nossa equipe:

Por ser um dos casos mais conhecidos no mundo criminoso norte-americano, e já haver diversos documentários, séries e filmes em torno da história, detalhar os crimes cometidos por Dahmer não é o enfoque da minissérie, além de ser necessário prestar respeito aos familiares das vítimas.
A minissérie foi criada e dirigida por Ryan Murphy, que já trabalhou com Evan em 9 temporadas de American Horror Story, e também na série Pose.
A minissérie estreia no dia 21 de setembro, na Netflix.

Confira abaixo o trailer da minissérie legendado:

 

Na noite da 28ª edição dos prêmios do Screen Actors Guild 2022, evento promovido pelo sindicato norte-americano SAG-AFTRA, Evan infelizmente não levou para casa o prêmio de Melhor Ator em Minissérie ou Filme para TV, por Mare Of Easttown. O prêmio foi para o ator Michael Keaton por Dopesick. É a primeira vez que Evan é indicado no evento. A série também foi indicada nas categorias de Melhor Elenco de Dublês em Série de TV, e Kate Winslet e Jean Smart na categoria Melhor Atriz em Minissérie ou Filme para TV, dessas duas categorias, Kate Winslet levou o prêmio.

Em entrevista ao site GoldDerby no dia 31 de janeiro de 2022 para o jornalista Luca Giliberti, Evan conta sobre os processos de preparação para atuar na série Mare of Eastown, entre outros relatos das filmagens da série da HBO.

Giliberti: O trabalho preparatório de Peters para este papel incluiu trabalhar com a treinadora de dialetos Susanne Sulby no sotaque de Delco, comunicar-se com a policial da vida real em que Mare se baseia e participar de um passeio policial em Marple Township, Condado de Delaware, “Para mim, as cenas mais assustadoras foram as cenas de detetive porque eu não sou detetive. Então, eu tive que trabalhar muito para tentar descobrir como eles se moviam, como eles operavam [e] o que eles pensavam.” Ele acrescenta que se lançou em mais pesquisas, devorando “Investigação de Homicídios e Mortes Relacionadas ao Sexo” de Vernon J. Geberth, bem como episódios da série documental “The First 48”. por quanto do esforço da equipe para resolver um caso é: “Você percebe o quanto você está trabalhando em conjunto, o quão perto você pode chegar e o quanto você se importa com a pessoa com quem está trabalhando. ””

Confira mais relatos de Evan na entrevista completa abaixo, legendada pela nossa equipe.

Durante a manhã desta quarta-feira (12), foram apresentados os indicados ao prêmio da 28ª edição dos Screen Actors Guild Awards (SAG). Evan foi indicado pela primeira vez em sua carreira, pelo papel de Colin Zabel em Mare of Easttown.

A série também recebeu outras duas indicações como Melhor Elenco de Dublês em série de TV, e Melhor Atriz em Minissérie ou Filme para TV pelos papéis de Jean Smart e Kate Winslet.

A premiação irá ao ar dia 27 de fevereiro.

 

2021 foi com certeza o maior ano da vida do Evan, onde seu talento e seus 17 anos de trabalho ganharam o devido reconhecimento, além de 4 novos projetos.

Neste post, vamos relembrar brevemente este importante ano na carreira do Evan. E começaremos pelos projetos.


Em janeiro desse ano estreou a série “WandaVision“, onde inicialmente Evan fez o irmão morto de Wanda, Pietro. Com o passar dos episódios descobrimos que ele não passa de um ator na história da Feiticeira, chamado Ralph Bohner. Não era lá o que todos nós esperávamos, mas foi ótimo rever o Evan no MCU.


Em agosto deste ano tivemos a atualização do RyanVerso com a nova temporada de “American Horror Story” onde Evan deu vida ao carismático e sombrio Austin Sommers. Apesar do pouco tempo de tela, foi impossível não amar esse personagem.


E falando em RyanVerso, esse ano tivemos as gravações da nova série do titio Ryan que estreia em 2022 na Netflix, “Monster: The Jeffrey Dahmer Story” onde Evan interpretará o serial killer. Apesar da estreia ser no ano de 2022, a série foi feita em 2021.


E deixando para o final, a série que elevou a carreira do Evan, “Mare of Easttown“. Onde Evan interpretou o inseguro detetive Colin Zabel, que tem problemas em sua vida pessoal e profissional, e então, quando Colin começa a ajustar sua vida (possível spoiler) … ele tem um fim trágico e totalmente realista, que chocou a todos por ser muito inesperado.


Além da morte chocante, sua cena de bêbado no episódio 3 “Enter Number Two”, chamou a atenção de todos que assistiram, arrancando elogios do público em geral.


E vale lembrar que o Evan pensou em desistir de atuar após gravar essa cena, por não se achar bom o suficiente. Mas, é claro que ele superou as expectativas. Uma atuação incrível, em uma série muito valorizada pela Academia, e que rendeu várias indicações…

Indicações:

• Emmy Awards – Venceu;
• Gold Derby – Venceu;
• HCA TV Awards – Venceu;
• OFTA Awards – Venceu;
• Satellite Awards – Premiação em 05 de janeiro de 2022;
• Critics Choice Awards – Premiação em 09 de janeiro de 2022;
• SAG Awards (previsão do site GoldDerby) – Premiação em 12 de janeiro de 2022.

Todos nós, fãs do Evan, esperamos muito por isso, pelo dia em que seu trabalho seria reconhecido como merece. Nós conhecemos o talento do Evan, sabemos o quanto ele se dedica ao seu trabalho e o quanto ele merece tudo isso, merece mais anos como esse ou até melhores. E foi um grande ano para nós da EPBR também, mais pessoas conheceram nosso trabalho através do Evan, atingimos mais e mais seguidores ao longo do ano, e agradecemos a vocês por todo o carinho e confiança em nossa equipe para trazer muito conteúdo brasileiro sobre Evan Peters.

Obrigada a todos que estão do nosso lado desde o começo, obrigada a todos que chegaram depois, todos que surtaram com a gente neste ano cheio de Evan Peters.

Se preparem, pois ano que vem tem mais.

Um abraço da equipe EPBR.

Na 27ª cerimônia da premiação Critics Choice Awards, Evan foi indicado pelo seu papel de Colin Zabel em Mare of Easttown, na categoria de Melhor Ator Coadjuvante em uma Série Limitada ou Filme feito para Televisão. As outras categorias na qual a série recebeu indicações foram em melhor Série Limitada, Kate Winslet na categoria Melhor Atriz em uma série limitada ou Filme para Televisão, e ambas Julianne Nicholson e Jean Smart foram nomeadas na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante em Série Limitada ou Filme feito para Televisão.

A cerimônia irá ao ar no dia 9 de janeiro (domingo) de 2022.

Fonte.